sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O fim de 2012 e o início de 2013


O L. perguntou-me inúmeras vezes se tinha gostado. A resposta não poderia ser mais sincera: sim, sim, sim :) Confesso que o meu nervosismo estava à flor da pele no dia 31... Por tudo o que iria acontecer. Ir à terra dele não é o mesmo que ir à casa dele em Lisboa... É o ambiente dele, são as coisas dele, os sítios dele, as pessoas dele. A vida dele. Claro que o que me estava a pôr mais nervosa e em completo devaneio era a família dele... Sei lá. Não me sentia à altura, nem com coragem. Como se não bastasse, a passagem de ano iria ser com amigos dele... Sim, conhecia alguns. Sim, são porreiros. Mas, lá está, não consigo controlar as minhas inseguranças.
Apesar de todos os medos iniciais, tenho a certeza que o início do meu ano não poderia ter corrido da melhor maneira. Num ambiente de super boa onda e, o mais importante, com a pessoa que mais amo. Nervosismo (e vergonha, segundo o menino L. e respectiva família) à parte, foram uns dias verdadeiramente bons. Tranquilos. Felizes. Também me fez bem parar de trabalhar nesses dias... Estava mesmo a precisar duma pausa.
Sem me querer repetir, mas já frisei que a companhia não poderia ter sido melhor? Ele é deveras importante e especial.

4 comentários:

miii disse...

Dá mesmo para perceber que sim! Fico tão feliz por estares feliz!**

Bárbara Cruz disse...

Se ele é importante e especial é o quanto basta, o rseso é secundário (mas no momento sei bem que não é assim xD)

Mary Jane disse...

:) Fico tão feliz por te (vos) saber assim.

Hermione disse...

muito bem, estava a ver que nunca mais davam o passo de envolver famílias ;p não é que isso seja o mais importante de tudo, mas quando já sentimos a outra pessoa tão nossa, se tudo correr bem, passado uns tempos a família dele sente-se como nossa também. comigo demorou mas foi :)