sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A surpresa


Na página do facebook da tão conhecida Pipoca, decorreu ontem um passatempo para ganhar um relógio... Dadas as condições do concurso (ao qual não me apeteceu concorrer, pelo que não o fiz), lembrei-me do último episódio ao qual não poderia meeeesmo chegar atrasada (e quase cheguei). 
Foi em Junho, algures entre as duas épocas de exames... O meu namorado tinha ido uns dias até à sua terra e eu, confesso, estava cheia de saudades (ficava assim uma semana... Em quase dois meses é tortura!). No dia anterior a ele chegar, estava na faculdade a estudar, e tomei uma decisão, que revelei às duas colegas que estavam comigo "Amanhã vou buscar o L. de surpresa ao comboio". Elas fizeram logo uma festa e, de seguida, fizeram filmes, em que o imaginavam a sair da carruagem e a correr para os braços... De outra, que também estava lá à sua espera! Os habituais filmes do sexo feminino. Fui rejeitando todos os planos para o dia seguinte, de manhã, e tinha tudo marcadinho na minha cabeça. As horas a que tinha que acordar e os transportes que deveria apanhar.
Acordei a horas, mas surgiu logo um contratempo... A minha colega de casa já estava na casa de banho e eu não me podia despachar! Fiz outras coisas primeiro, mas já não me despachei à hora que queria... Saí de casa em cima da hora do autocarro que tinha que apanhar, para não mudar de transporte. Corri que nem uma louca e constatei que o autocarro estava atrasadíssimo... Então apanhei outro e depois mudei para o metro. E com isto faltavam para aí cinco minutos para o comboio dele chegar. Era só uma estação entre o sítio onde eu estava... Mas não sabia quanto tempo faltava para chegar o próximo metro! Lembrei-me que uma amiga minha TALVEZ viesse no mesmo comboio. Mandei-lhe mensagem. Fui informada de que eles estavam quase a chegar... Chegou o metro. Quem conhece a estação de Entre Campos, sabe que ainda vai um bocadinho entre a estação do metro e a dos comboios. Fiz esse percurso em tempo recorde... Nunca tinha corrido tão depressa. Ainda confirmei nas bilheteiras a linha em que o comboio parava, subi à pressa e cheguei antes dele... Depois desta correria toda, cheguei a tempo. Ele viu-me antes de eu o ver... Antes do comboio parar. Perguntou à minha amiga, que tinha acabado de encontrar "Mas o que é que a i. está aqui a fazer?" e ela fez aquele risinho e disse "Eu já sabia". Acho que só não corri para os seus braços, porque ela estava presente... Tinha tantas saudades. Corri mais naquela manhã do que no último ano, só para poder estar ao pé dele o mais depressa possível. E de surpresa...
Neste momento, se pudesse, ia a correr até ao sítio onde ele mora. Estas saudades andam a torturar-me... Mas é o que se tem. Já não falta assim taaaanto tempo para o ter nos meus braços...

7 comentários:

Cat disse...

Ooooh que fofiiinha :')

Ju disse...

Ohh, como te compreendo! (:

м♥ disse...

és uma romântica. e sinceramente fico muito solidária com essa tua dor. eu que não consigo passar dois dias longe do meu namorado sem ficar deprimidíssima... Admiro imenso pessoas como tu, pessoas que têm relações à distância, essas coisas. Eu sei que seria capaz, mas fico de coração partido só de imaginar. És uma valente!!! :)

Hermione disse...

são tão boas essas surpresas inesperadas, de parte a parte :) não sei como aguentas esse tempo todo longe dele, bolas! mas está quase :):)

morta de sono disse...

Aii esse percurso do metro ao comboio mata-me tanta vez! mal vejo que está na hora do comboio vir, desato numa corrida descomunal até lá acima. até acalmar a respiração é que é mais dificil :P

ʝoana disse...

Oh i. isso é mesmo amor. :)
Vais ver que um dia passam o Verão juntos.

Closet & Beauty disse...

São estas pequenas ausências que fortalecerão a vossa relação ;)